terça-feira, 2 de março de 2010

Bichinho de estimação! Quando?


Eu sempre adorei bichos. Na casa da minha avó tinha muitos gatos no quital e eu sempre gostei deles. Ainda quando pequena eu nem me lembro quem comprou um jaboti. Nós chamávamos de tartaruga e meus primos deram o nome de Tudinha. Era Tudinha carregada para todo lado. Depois descobrimos que era macho, mas a gente nem ligou. Minha avó é que ia atrás dela pelo quintal dar banana a alface pra bichinha. Ela ficou anos conosco. Fugiu uma vez e um menino veio tentar trocar a Tudinha (nossa tartaruga fujona) por um cachorro que meus primos tinham. Minha tia brigou com o menino e pegou a Tudinha de volta!!! Depois ela acabou fugindo de verdade e nunca mais a vimos. Eu tbm tive um coelho quando eu tinha 5 anos, mas ele morreu rápido... Tive um cachorro quando eu tinha por volta de 8 anos. Mas quem ficou com ele foi minha tia, pois eu morava em apartamento e não ficava na minha casa e sim na casa da minha avó e da minha tia. O cachorro sofreu na nossa mão de criança. Até vassorada a gente dava nele, coitado... Ele acabou se tornando um cachorro super agressivo. Depois passaram muitos anos e quando eu tinha 15 anos eu ganhei uma gatinha, a Lily! Convenci minha mãe e ela aceitou me dar essa responsabilidade.
Acho que bichinho de estimação é um ganho enorme na vida de uma criança. Mas o bichinho é de quem? Quem cuida?
Tenho uma vizinha que em dois anos que ela veio morar aqui ela já está no terceiro cachorro. Ela compra o bichinho para a filha que hoje tem 9 anos! Ela quer que a filha cuide... A menina não cuida e ela dá o cachorrinho!!! Na minha opnião, bichinho de estimação para dar para a criança é só quando ela tem idade para assumir a responsabilidade pelo bichinho. Caso contrário o bichinho é para os pais. Existem bichinhos fáceis como peixinho Betta, que para os pais sobra limpar o micro aquário. Mas quando se pensa em cachorro ou gato é uma decisão muito séria! Bichinho não é descartável. Eles vivem muitos anos, se apegam às pessoas da casa e quem pega um deve ter a responsabilidade por ele.
Quando eu peguei a Lily minha mãe foi clara: "você é quem vai cuidar." Assumi inteiramente essa responsabilidade. Pouco depois depois pegamos mais um gatinho, o Mingau. Quando eu estava com quase 19 anos eu mudei para Atibaia. Levei os dois comigo. Depois mudei com minha mãe para o MT e eles foram juntos. Voltamos e eles voltaram juntos. Casei e mudei para GO. Eles foram juntos. Voltamos para São Paulo e eles voltaram juntos. Em 2009 perdi meus dois companheiros, meus dois filhinhos peludos. O Mingau chegou com 24 dias e nos deixou com 12 anos e 9 meses. A Lily chegou com 1 mês e nos deixou com 13 anos e 10 meses. Foram 13 anos de responsabilidade cuidando deles. Meus filhos chegaram e eles já estava lá! Os gatos eram de todos, mas a responsabilidade de cuidar sempre foi minha. Eles cresceram aprendendo a amar e respeitar os bichinhos. O Henrique deu seus primeiros passos atrás do Mingau. A primeira pessoa por quem a Lily realmente se apegou foi o Henrique. Meus filhos só ganharam com essa convivência.
Assim que eles se foram outros chegaram. Estamos com 3 gatinhos: Mariano que tem cerca de 1 ano, Papinho que tem cerca de 5 meses e Nino com cerca de 3 meses. O Henrique sempre diz que um ou outro é dele. Quem nos trouxe o Papinho foi a Luiza e quem nos trouxe o Nino foi o Henrique. Mas nem por isso eu dei a responsabilidade de cuidar dos bichinhos para eles. Eles dizem que os gatos são deles, mas quem deixou eles trazerem fui eu. Eu que deixei essa responsabilidade entrar! Sei que eles viverão por muitos anos. Quando o Henrique for para a faculdade eles estarão aqui comigo. Se ele quiser levar, eu deixo. Afinal ele já terá idade para ter responsabilidade para cuidar de um gatinho.
É isso que penso sobre dar um animalzinho para uma criança. Animalzinho não é brinquedo. Não dá para cansar e simplesmente descartar, doar, se livrar... Se você pensa em dar um bichinho para seu filho, pense se ele já tem condições de lembrar de alimentar o bichinho, de limpar o local que ele vai fazer xixi e cocô, se ele vai querer o bichinho depois que não for mais filhote. Se ele não tem idade para isso, pense se é essa responsabilidade que você quer. Se for, beleza! Presenteie seu filho com um bichinho. Se não for isso que você quer, deixe para dar para ele esse presente quando ele for mais velho! E por enquanto vá dando bichinhos de pelúcia, jogos, carrinhos e bonecas! Cansou, doou!

Imagem: Lily (arquivo pessoal)

2 comentários:

irispedrosbiel disse...

Eu amo bicho e sempre teve bichos aqui em casa, Pedro Henrique chegou e teve 3 cachorros, rs 1 de cada vez e depois gabriel chegou e tinha 1 cachorro em casa, é saudável, eles interagem, brincam... graças a deus!
Adorei o seu post passado sobre PARTO EM CASA!!

Dea disse...

Larissa
Parabéns pelo posto, minha primeira vez em seu blog e já amei!
Gostaria que todas as pessoas tivessem o mesmo sentimento e respeito em relação aos animais e assumissem a responsabilidade como você.
As pessoas acham tão descartáveis os animais, que cansou, joga fora, fico revoltada com isso!